sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Produção de Texto

Resenha




Diversidade Gastronômica Brasileira

(Grupo Hábitos Alimentares)



               Esta resenha apresenta a discussão sobre os hábitos alimentares característicos de cada região do Brasil, suas diferenças, seus benefícios e malefícios. Para tratar o assunto o grupo recorreu à diversas fontes de pesquisa e selecionou os sites http://cyberdiet.terra.com.br/; http://www.brasilsabor.com.br/por/iguarias/item/24 e os estudos de Carvalho, J.M. ET AL. Água de coco: propriedades nutricionais, funcionais e processamento. Semina ciênc. Agrar. 27(3), p. 437 – 452; jul/set, 2006.
              O site disponível em http://cyberdiet.terra.com.br/ mostra cada diferença das culturas de cada região no que se refere às comidas típicas. Fala de vários pratos típicos de cada região, apresenta alguns pontos positivos e negativos da alimentação e até dispõe uma tabela com alguns pratos típicos, indicando as calorias de certa quantidade daquele alimento. No site diz que:

Na culinária do sul, podemos destacar os efeitos benéficos encontrados na erva do chimarrão e no vinho, que é consumido com freqüência. Na região sudeste a variedade na culinária é muito grande, onde você pode optar por alimentos mais saudáveis, além do peixe estar muito presente. Na região norte o consumo de peixe é elevado, tornando o prato do nortista mais saudável, devido às propriedades benéficas deste alimento. O consumo de frutas regionais também é um hábito saudável. A região nordeste apresenta uma culinária muita saborosa, com cores e aromas, deixando qualquer pessoa de água na boca. Além disso, o peixe e frutos do mar estão presentes com freqüência. Na região centro-oeste pode destacar Brasília, neste local você encontra comidas típicas de várias regiões. Além disso, nas demais regiões, os peixes de água doce são consumidos com freqüência, além dos legumes.

           As palavras presentes no site indicam que mesmo as regiões apresentando comidas típicas bem diferentes, cada uma têm seus benefícios. No sul é citado o chimarrão, no sudeste a variedade na culinária, no norte valoriza-se muito o peixe e as frutas regionais, no nordeste destaca-se a grande freqüência de peixes e frutos do mar e no centro-oeste os peixes de água doce e os legumes são muito consumidos.
          O site disponível em http://www.brasilsabor.com.br/por/iguarias/item/24 trata de um prato típico da região norte,na verdade, o mais famoso dos pratos paraenses, o pato no tucupi. Cita suas características como seu preparo, ingredientes, o que é o tucupi e sobre a ave consumida. Segundo o site:

A ave, um dos primeiros animais domesticados pelos índios, é presença certa na ceia servida de domingo durante o Círio de Nazaré. A receita, além do pato e do tucupi, tem também em seus ingredientes folhas de uma planta rasteira chamada jambu que, quando mastigadas, causam tremor e uma leve dormência nos lábios. Para aromatizar o prato, pedem-se ainda algumas gotas de pimenta-de-cheiro. O tucupi é o sumo extraído da mandioca depois de ralada e prensada.

         O texto explica porque tal ave é ingrediente de um dos pratos mais consumidos no norte. Indica outros ingredientes e aromatizantes como o jambu e a pimenta –de - cheiro e explica o que é o tucupi que completa o tão famoso prato.
         Em Carvalho, J.M. ET AL. Água de coco: propriedades nutricionais, funcionais e processamento. Semina ciênc. Agrar. 27(3), p. 437 – 452; jul/set, 2006, encontram-se informações sobre a água de coco, uma bebida comumente encontrada na região nordeste. Relata seus benefícios e minerais presentes. Carvalho diz que:

Considerada um isotônico natural por ser uma rica fonte de minerais como sódio e potássio e facilmente absorvida pelo nosso organismo favorecendo uma rápida hidratação, além de repor as perdas hídricas. Também é encontrado cálcio, magnésio, manganês, ferro, zinco e cobre. Estudos recentes comprovam que a água-de-coco faz uma ótima reposição de eletrólitos. Isto é muito bom em casos de diarréias aonde há uma grande perda de água, auxiliando de modo significativo na reidratação.
(Carvalho, J.M. ET AL. Água de coco: propriedades nutricionais, funcionais e processamento. Semina ciênc. Agrar. 27(3), p. 437 – 452; jul/set, 2006)

          O autor aponta a presença de vários minerais como cálcio, magnésio, manganês, ferro, zinco e cobre na água de coco. Aponta também a ótima reposição de eletrólitos que essa bebida faz, comprovado por estudos recentes.
           Com base nos estudos apresentados compreendemos que cada região possui pratos típicos e isso é fato, mas apesar de alguns pratos não serem saudáveis, serem muito calóricos e muito freqüentes, existem várias preparações típicas que apresentam grande poder de nutrição. Além das frutas regionais, peixes de água doce e salgada, frutos do mar, legumes e ervas típicas de cada região comprovam o quanto existem alternativas saldáveis quando se diz em hábitos alimentares regionais.

Bibliografia:
Internet:
Livro:
  • Carvalho, J.M. ET AL. Água de coco: propriedades nutricionais, funcionais e processamento. Semina ciênc. Agrar. 27(3), p. 437 – 452; jul/set, 2006


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Produção de Texto

Entrevista/Vídeo




Não deixem de assistir a entrevista que fizemos com o dono do restaurante Chão Goiano.
Foi uma entrevista bem descontraída, abordando temas como o trabalho dele no restaurante, os tipos de comida que são servidas, o público alvo e outras coisas.
Aproveitamos que lá são servidas comidas da Região Centro-Oeste que é a nossa região e é uma das regiões que estamos abordando nesse trabalho para fazer perguntas elaboradas pelo grupo.
Assistam no youtube clicando nos links abaixo na ordem em que estão.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Conheça um pouco mais !

 Mais um video que mostra nossa riqueza cultural.
Neste vídeo você vai ver não só as comidas típicas de cada região, mas também as danças típicas que mostram muito a influência de outros países e de outras culturas.
Com tudo isso, podemos concluir que não tem como falarmos da gastronomia de cada região sem falar da danças, das religiões e dos costumes, porque tudo isso tem uma influência de outros países que nos colonizaram e de suas culturas, pois as nossas diferentes culturas são uma mistura com as culturas dos nossos colonizadores.
Este vídeo tratará de cada região separadamente dando ênfase nas comidas e danças tipicas.
Espero que gostem!

Vídeos !

Assistam a esse video, ele mostra um pouco dos hábitos alimentares de cada região do nosso país.
Com ele, podemos perceber as diferenças culturais e típicas de cada região, que mesmo sendo do mesmo país, elas apresentam grandes diferenças de região pra região.
Conseguimos perceber que nos quatro cantos do Brasil podemos apreciar gostosas e diferentes comidas, que apresentam cores, sabores, temperos e aromas diversificados.
Não deixe de assistir e aprender mais um pouquinho sobre as diversidades gastronômicas do nosso país.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Coleta de Dados

"Região Sul:

Pontos positivos: Na culinária do sul, podemos destacar os efeitos benéficos encontrados na erva do chimarrão e no vinho, que é consumido com freqüência. O custo das refeições é mais acessível.

Pontos negativos: Devido às baixas temperaturas, os pratos são muito elaborados, e possuem muita gordura saturada, que faz mal à saúde e os torna muito calóricos. Por isso, moderação é fundamental.

Calorias de alguns pratos típicos:

Preparação                Quantidade                   Calorias

Arroz de carreteiro 1 colher de sopa (20g)      56 kcal
Barreado                1 colher de sopa (30g)      73 kcal
Churrasco              1 espeto (100g)               205 kcal
Ambrosia               1 colher de sopa (20g)     102 kcal
Papos de anjo        1 unidade (40g)               116 kcal


Região Norte:

Pontos positivos: O consumo de peixe é elevado, tornando o prato do nortista mais saudável, devido às propriedades benéficas deste alimento. O consumo de frutas regionais também é um hábito saudável.


Ponto negativo: Observarmos que nesta região, os alimentos fontes de carboidratos e proteínas estão presentes, porém não verificamos o consumo freqüente de saladas com verduras e legumes, que fornecem vitaminas e minerais importantíssimos para a saúde.
 
Calorias de alguns pratos típicos:


Preparação               Quantidade                  Calorias

Pato no tucupi        1 porção (100g)             332 kcal
Munguzá                1 concha (120g)             135 kcal
Doce de Buriti        1 porção (100g)              330 kcal
Cupuaçu                1 unidade (100g)              72 kcal 
 
 
Região Sudeste:
 
Ponto positivo: Nesta região a variedade na culinária é muito grande, onde você pode optar por alimentos mais saudáveis, além do peixe estar muito presente. A variedade com pratos regionais e internacionais também é um ponto positivo.


Pontos negativos: O fast food presente em todas as grandes cidades, principalmente no Sudeste é rico em gordura saturada e calorias e deve ser limitado na alimentação. Algumas preparações do estado de Minas Gerais também possuem grande quantidade de gordura saturada e colesterol. Cuidado com os excessos.
 
Calorias de alguns pratos típicos:


Preparação                        Quantidade                Calorias

Moqueca capixaba              1 porção (210g)     160 kcal
Beiju de tapioca com coco  1 unidade (100g)     498 kcal
Feijão tropeiro             1 colher de sopa (20g)    66 kcal
Feijoada                      1 concha média (225g)  346 kcal
Caldo verde                 1 concha média (130g)   79 kcal 
 
 
Região Nordeste:
 
Pontos positivos: Culinária muita saborosa, com cores e aromas, deixando qualquer pessoa de água na boca. O consumo de água de côco é comum entre os habitantes desta região. Esta bebida é um ótimo isotônico natural. Além disso, o peixe e frutos do mar estão presentes com freqüência.


Ponto negativo: Como a maioria dos pratos tem como ingredientes o leite de côco e o azeite de dendê, as preparações tornam-se muito calóricas e com alto teor de gordura, por isso, muito cuidado para não extrapolar na quantidade. Os temperos e pimenta são carregados, o que pode causar irritação gástrica.
 
Calorias de alguns pratos típicos:


Preparação                   Quantidade                    Calorias

Vatapá                       1 colher de sopa (30g)      38 kcal
Acarajé                      1 unidade (100g)              278 kcal
Galinha à cabidela      1 porção (100g)                178 kcal
Buchada de bode       1 porção (100g)              129 kcal 
 
 
Região Centro-Oeste:
 
Pontos positivos: Podemos destacar Brasília, neste local você encontra comidas típicas de várias regiões. Além disso, nas demais regiões, os peixes de água doce são consumidos com freqüência, além dos legumes.


Ponto negativo: Em alguns estados, a culinária é muito parecida com a cozinha do mineiro, onde é utilizada muita carne de porco nas preparações, tornando a comida hipercalórica. Mas assim como em qualquer outra região do Brasil, o segredo para não deixar de desfrutar de todas as delícias é a moderação."

Calorias de alguns pratos típicos:


Preparação                  Quantidade                      Calorias

Empadão Goiano       1 fatia (150g)                     340 kcal
Arroz com pequi        1 colher de servir (60g)      108 kcal
Galinhada                  1 porção (100g)                 273 kcal

Disponível em: http://cyberdiet.terra.com.br/
Acessado no dia 04/11/2009 às 19h

Coleta de Dados

Região Sudeste - Feijoada
                                            
A feijoada está diretamente ligada à presença do negro em terras brasileiras. Resultado da fusão de costumes alimentares europeus e a criatividade do escravo africano, a feijoada é o simbolo da culinária nacional.Esta fusão teve origem na época do descobrimento do ouro na Capitania de São Vicente/SP, na virada do século XVII. 0 inicio da mineração no Brasil levou à criação de novas capitanias e modificou sensivelmente a economia brasileira. A partir dai incentivou-se o uso da moeda nas trocas comerciais, antes baseadas em produtos como o cacau e o algodão e fez crescer a necessidade de mão-de obra escrava, intensificando o tráfico de negros africanos e, como conseqüência, sua influência em nossos hábitos alimentares.Nas regiões das minas de ouro (Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Mato Grosso), como o escravo ficava totalmente absorvido pela busca do ouro e dos diamantes, e sem disponibilidade para cuidar de sua própria comida, os mantimentos vinham de outras regiões (litoral paulista e carioca) carregados nos lombos dos animais, dai a origem do não menos famoso 'Feijão tropeiro', indicando a forte apreciação nacional pelos pratos feitos à base de feijão.Naquela época, a refeição dos escravos de Diamantina era composta basicamente de fubá de milho, feijão e sal. Assim, o feijão misturado corn farinha de mandioca ou fubá grosso de milho, antes de ser servido, virou prato tradicional naquela época.Pouco depois, acrescentou-se a este prato a carne, fundindo o apreciado cozido português, prato corn diversos tipos de carne e legumes, cozidos todos juntos, com o já adotado feijão, toucinho e farinha. Estava feita a feijoada.Hoje, à feijoada, constituida de feijão preto cozido sobretudo com partes do porco (orelhas, rabo, pés etc.) acrescenta-se como acompanhamento a couve refogada corn alho, o arroz branco, a farofa de farinha de mandioca e o molho de pimenta.
(Instituto Gastronômico Brasileiro)

Feijoada



Região Norte - Pato no Tucupi

O mais famoso dos pratos paraenses é o pato no tucupi. A ave, um dos primeiros animais domesticados pelos índios, é presença certa na ceia servida de domingo durante o Círio de Nazaré. A receita, além do pato e do tucupi, tem também em seus ingredientes folhas de uma planta rasteira chamada jambu que, quando mastigadas, causam tremor e uma leve dormência nos lábios. Para aromatizar o prato, pede-se ainda algumas gotas de pimenta-de-cheiro.O tucupi é o sumo extraído da mandioca depois de ralada e prensada. O líquido de cor amarelada é venenoso quando cru. Para eliminá-lo, é preciso que o tucupi seja fervido por horas a fio. Um bom tucupi é avaliado pelo aroma dos temperos nele acrescidos. Se alguns preferem temperá-lo apenas com alfavaca, chicória e pimenta-de-cheiro, outros também juntam alho. Sua qualidade é incrementada quando fervido várias vezes, durante as quais são retirados os sedimentos e impurezas. Outro ponto a ser avaliado é o teor de acidez, que varia entre um tucupi e outro.
 

Pato no Tucupi


Região Sul - Arroz de Carreteiro

A origem do arroz de carreteiro é simples como o seu preparo. Os peões que levavam as tropas de gado usavam o charque (carne salgada) em suas idas e vindas, como alimento não perecível, e junto com o arroz abundante na região sul, preparavam essa refeição tradicional. Claro que nas estâncias o arroz com charque era também prato usual, pela sua simplicidade e sabor.O charque foi um dos propulsores da econômia gaúcha do fim do século 19, da região sul do Rio Grande. O gado vinha do interior para as charqueadas que ficavam à beira do arroio Pelotas, onde eram abatidos e salgados, para então serem transportados em navios que saiam do porto de Rio Grande, para o norte do país e Europa.As cidades de Pelotas e Rio Grande mostram até hoje, casarões, teatros e monumentos, além da cultura, que foram trazidos com o intercâmbio do charque.


Arroz de Carreteiro


Região Nordeste - Água coco

Calor, sol, verão, mar e imediatamente lembramo-nos da água-de-coco, uma delícia de bebida para repor as reservas hídricas do nosso corpo. Considerada um isotônico natural por ser uma rica fonte de minerais como sódio e potássio e facilmente absorvida pelo nosso organismo favorecendo uma rápida hidratação, além de repor as perdas hídricas. Também é encontrado cálcio, magnésio, manganês, ferro, zinco e cobre. Estudos recentes comprovam que a água-de-coco faz uma ótima reposição de eletrólitos. Isto é muito bom em casos de diarréias aonde há uma grande perda de água, auxiliando de modo significativo na reidratação. Há outros benefícios deste extraordinário líquido encontrado ao longo do litoral do Nordeste, região aonde chegaram as sementes provenientes de Cabo Verde. Foram os portugueses por volta de 1553 que trouxeram para o Brasil.
(Carvalho, J.M. ET AL. Água de coco: propriedades nutricionais, funcionais e processamento. Semina ciênc. Agrar. 27(3), p. 437 – 452; jul/set, 2006)


Água de Coco


Região Centro-oeste - Empadão Goiano

O autêntico Empadão Goiano nasceu numa das cidades mais tradicionais do Estado de Goiás, hoje considerado Patrimônio Histórico da Humanidade:Goiás Velho. Os Goiases eram os indígenas que habitavam as regiões dos cerrados, ao norte da capitania de São Paulo. Devido à procura incessante do ouro no final do século XVIII, a culinária goiana, até então com raízes indígenas, foi recebendo a influência de mineiros e paulistas que aprenderam a adaptar suas receitas aos frutos nativos, entre os quais destacam-se os peixes de rio assados na telha, o pequi e o palmito da guariroba. Com o passar dos séculos e com a mistura de raças e culturas, a culinária foi se tornando cada vez mais diversificada e mais saborosa. A partir daí foram surgindo os famosos pratos da culinária goiana, entre eles, o autêntico Empadão Goiano. Hoje, graças à diversidade de culturas que por aqui passaram, o Empadão Goiano é conhecido nacionalmente pelo seu tempero especial e sabor incomparável.
(Texto: Elder Camargo-Fonte: http://www.empadaogoiano.com.br/origem.php)



 
Empadão Goiano

Imagem Feijoada:
Imagem Arroz de Carreteiro:
Imagem Água de Coco:
Imagem Empadão Goiano:


RESUMO

Objetivo:

Mostrar que o Brasil é um país que possui qualidades a serem ressaltadas. Um povo acolhedor e bastante tolerante. Analisar os diferentes hábitos alimentares no contexto pluralidade culturais. Apreciar culturas diferentes, valorizando-as em seus cardápios e mostrar que temos muito a aprender quando conhecemos culturas diferentes.


Comida mineira

 
Justificativa:

No início deste semestre a professora Joana que administra a disciplina comunicação e expressão no curso de Nutrição propôs aos alunos um projeto de estudo diferenciado através de um blog. Para que aprendêssemos na prática como a comunicação é tão importante em nossas vidas, deu-nos a liberdade de escolher um tema para o desenvolvimento deste projeto. Formamos um grupo com a participação de seis alunas: Lucília, Glaucia, Cláudia, Camille, Maria Luíza e Bárbara, que discutiram a respeito deste tema, surgindo questionamentos interessantes e considerando ressaltar uma das características mais importantes do Brasil ao longo de sua história. Esse quadro de inúmeras raças que aqui se encontram miscigenadas; a pluralidade cultural e a convivência na maior parte das vezes pacifica. Na atualidade a Nutrição tem um papel de estrema importância na escolha de uma alimentação saudável e equilibrada.



Pratos variados


Conclusão:

Os resultados obtidos nesta pesquisa mostraram culturas, hábitos alimentares e camadas sociais nos diversos períodos da historia do Brasil. O valor nutricional não foi a preocupação fundamental em todas as regiões brasileiras entre diferentes classes sociais da população, tanto em termos qualitativos como quantitativos. O desequilíbrio nutricional ao lado das formas tradicionais de cada região, o aparecimento de desnutrição, obesidade, epidemias e outros provam isso. Os gostos e as práticas alimentares no padrão alimentar brasileiro devem ser conscientizados visando à introdução de novos hábitos alimentares que são necessários para a qualidade de vida e melhoria da saúde da população.

Bibliografia:
Imagem Comida Mineira: http://blog.rotarypatosdeminas.org.br/up/r/ro/blog.rotarypatosdeminas.org.br/img/comida_mineira11.jpg
Imagem Pratos Variados:
http://www.rioscenarium.com.br/arquivos/noticias/pratos_do_comida_di_buteco.jpg